FRESP no facebook FRESP no Instagram FRESP no YouTube

NGK anuncia investimento de R$ 210 milhões em sua fábrica no Brasil

A NGK, que produz componentes automotivos, como velas de ignição, sensores, cerâmicas e revestimentos porcelanizados, anuncia investimento de R$ 210 milhões para a ampliação e modernização de sua fábrica em Mogi das Cruzes (SP). Em comunicado divulgado na sexta-feira, 23, a empresa informa que mais da metade do aporte deve ser aplicado ainda este ano. Todo o investimento, baseado em recursos próprios, está previsto para ser concluído até 2020 visando, além da atualização da fábrica, o aumento de sua capacidade.

Pelos planos, R$ 87 milhões serão direcionados para aumentar a capacidade de produção de isoladores em 30%. O projeto contempla a construção de novos prédios, aquisição de equipamentos, treinamento e contratações. A unidade ganhará 3,8 mil metros quadrados a mais de área construída.

“As operações da NGK no Brasil completam 59 anos em 2018. Nestas quase seis décadas de história, nos consolidamos como um dos principais fornecedores da indústria automotiva do País, tanto no fornecimento de peças originais, quanto para o mercado de reposição. Este investimento reforça a nossa presença no Brasil e a nossa posição global como subsidiária da companhia. Mais uma vez vamos contribuir para o fortalecimento da indústria nacional e para o desenvolvimento da região de Mogi das Cruzes”, afirmou o presidente da NGK no Brasil, Hiroyuki Tanabe, na sexta-feira, 23, durante o anúncio do investimento em evento na fábrica para autoridades locais.

Durante o processo de aplicação do investimento e modernização da fábrica, a companhia calcula a geração de 200 postos de trabalho diretos e indiretos, considerando desde a construção dos novos prédios até o funcionamento da produção. Com essa ampliação, a NGK ampliará ainda sua representatividade nas exportações e passará a fornecer para outros países das Américas, Europa e África do Sul. A empresa não detalhou qual volume de exportação projeta para os próximos anos.


Fonte:Fonte: Automotive Business

 

Voltar