FRESP no facebook FRESP no Instagram FRESP no YouTube

É preciso falar sobre a alta do diesel

29/10/2021

Além de todo o impacto trazido pela crise desencadeada no País com o início da pandemia da Covid-19, o setor de transportes de passageiros vem enfrentando outra dificuldade: os sucessivos aumentos do preço do combustível.

Com o novo reajuste definido pela Petrobrás, o óleo diesel já acumula alta superior a 40% apenas neste ano de 2021. O Diesel S-10, por exemplo, alcançou no mês de outubro seu maior índice, chegando a R$ 5,033, de acordo com dados oficiais divulgados no Monitor de Preços do Observatório Social da Petrobrás.

E, infelizmente, as operações de transporte de passageiros não estão isentas aos reflexos desta elevação exagerada dos custos. As empresas de fretamento que atuam transportando milhares de trabalhadores para seus postos de trabalho seguem à risca o disposto em seus contratos, cuja periodicidade anual de reajuste dificulta o repasse imediato dos aumentos. Vale destacar que o combustível hoje representa de 30% a 40% do valor do frete, dependendo da característica do serviço.

Portanto, desde o início dos reajustes sucessivos as nossas empresas têm mantido o valor do contrato firmado com seus clientes, absorvendo os custos elevados. Não é mais possível prosseguir sem falar em recomposição dos valores contratuais para manter o equilíbrio e a saúde do negócio.

Sendo a alta desenfreada do óleo diesel um fator externo, que infelizmente não podemos controlar, acreditamos que o diálogo entre a contratante e a prestadora do serviço se faz essencial. Reestabelecer o equilíbrio que se desfez neste ano tão desafiador é imprescindível.

Afinal, juntos chegamos mais longe – sempre com qualidade, pontualidade e segurança, garantindo que sua equipe estará pronta e disposta para cumprir as metas diárias e ajudar a retomada econômica e social de nosso país.

FRESP Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo

 

Voltar